A Cega Natureza do Amor.

image001

O amor, em 13 contos

Segundo livro do Jovem Escriba Patrício Jr. sai dia 16

Cartas apaixonadas. A gravidez indesejada e depois amada. A relação impossível. O romantismo da moça que se apaixona por um gringo. O mesmo sexo. A espera no cais do porto, por quem nunca vem. Discussão. Traição. São essas situações às quais nos submete o maior dos sentimentos que constroem os 13 contos escritos por Patrício Jr. em seu segundo livro “A Cega Natureza do Amor”, com lançamento marcado para o próximo dia 16 de julho, às 19 horas, na livraria Siciliano do shopping Midway Mall, em Natal.

O autor explica que não escreveu intencionalmente sobre o assunto preferido da literatura – o amor – mas que o tema surgiu naturalmente, ao fazer a seleção dos contos. “Percebi que esse sentimento dava unidade aos textos. Estavam lá o amor platônico, o amor religioso, o amor moderno, uns com finais tristes e outros felizes. No final, a intenção é que o leitor fique com a impressão de que apesar de, vale a pena amar”, teoriza.

A maioria dos textos é inédita, somente alguns já foram publicados. É o caso de “Diva” que saiu na extinta revista Brouhaha e que está sendo adaptado para o cinema pelo diretor Buca Dantas. O processo coletivo de criação que envolve a obra, inclusive, reforçou o seu teor artístico. Destaque para a participação da fotógrafa Drika Silveira e para as interpretações musicais de Marlos Ápyus que fizeram, cada um, suas leituras dos contos. No lançamento, haverá uma exposição das fotos do livro e um pequeno show ao vivo.

Impressa pela gráfica carioca Lidador, a obra tem 124 páginas, tiragem inicial de 600 exemplares e terá campanha de divulgação no rádio, TV e Internet. O apoio cultural é da Grito Anime, Diginet, Drika Silveira Fotografias, Faz Propaganda, Versailles Recepções, Larissa Borges Projetos Editoriais, Camaleão Art Vídeo, Honda Motoeste e Sucesso Produções.

“A Cega Natureza do Amor” é o 11º lançamento do selo potiguar Jovens Escribas. O primeiro livro de Patrício Jr. foi “Lítio”, lançado em 2005 também pelo JE. Nascido em Natal/RN, em 1979, o jornalista e publicitário é um dos fundadores do selo, que já publicou mais de 10 livros de novos autores. Ele escreve também no http://www.patriciojr.com.br.

Veja também os belos anúncios criados pela Raf Propaganda para o livro:

Mais informações
Rosilene Pereira – Assessora de Comunicação
rosilenews@hotmail.com – 84 9941-8123

Fialho, Fialhinho, Fialheta….

Carlos Fialho, é um redator galadinho, tem sempre uma piada na ponta da língua, respostas pra tudo e opiniões que geralmente diferem do imbecílico senso comum. Cronista de primeira, canalhinho, além de pegador. É um dos mais divertidos e polêmicos escritores da terra de Câmara Cascudo. Seus livros são ótimos de ler, ideais praquela leitura de banheiro, curtos, engraçados e de uma fluidez que você desejaria ter no intestino.

Brincadeiras à parte, Fialho consegue produzir cultura num país que pouco valoriza isso. Além de escritor, é editor e carrega nas costas o selo próprio, Jovens Escribas, que dá espaço a escritores que dificilmente o teriam em editoras do eixo sul-sudeste. Temos que prestigiar iniciativas com esta, antes que nos restem somente a Rede Globo e a Editora Abril como únicos geradores de “cultura”. Isso sim, seria um futuro apocalíptico.

Para divulgar o lançamento de seu terceiro livro, no próximo dia  07 de maio, às 18 horas na Siciliano do Midway Mall, o autor fez um apanhado dois mais legais depoimentos (estaremos publicando todos) deixados em sua coluna na internet.

Como diria um amigo em comum, boa Fialhinho, boa, boa….

depoimentos-1